Tecnologia na Fisioterapia Pélvica com Adriane Bertotto

Você tem interesse em saber mais sobre fisioterapia pélvica?

Uma área importantíssima para a humanidade, a saúde e seus métodos de trabalho estão sempre em constante mudança e desenvolvimento.
Dentro dela, a fisioterapia é uma das ciências que mais se beneficiam com o lançamento de novas tecnologias para o cuidado de pacientes.
Para os profissionais que atuam nessa especialidade, qualquer técnica que possa potencializar os resultados da reabilitação física é importante e bem-vinda. Logo, abre-se espaço para diferentes práticas e possibilidades.

A tecnologia permite melhorar a avaliação tornando-a mais produtiva, pois além do toque é possível obter melhores informações com tecnologias como o EMG, a dinamometria, a ultrassonografia.

 

O que a tecnologia vai trazer para o fisioterapeuta pélvico?

Hoje com a demanda de trabalho somada as questões financeiras dos pacientes, a tecnologia vai permitir um melhora na prescrição do tratamento fazendo com se otimize o tempo de tratamento gerando um prognóstico mais adequado pra ele, dessa forma é possível transmitir para o paciente a importância do tratamento. As tecnologias permitem também enviar laudos mais fidedignos para os parceiros, como os médicos por exemplo, para ter o acompanhamento exato do tratamento  permitindo um melhor trabalho interdisciplinar.

Assista a este vídeo onde a Fisioterapeuta Adriane Bertotto fala sobre a tecnologia e seus benefícios para o profissional e ao paciente.

 

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0

Miotec - Tecnologia para a vida!

A Miotec tem a missão de entender as necessidades dos pacientes e de desenvolver soluções para dar suporte aos profissionais da área da saúde, para que eles tenham mecanismos mais eficientes a favor dos tratamentos feitos.

Tendo como objetivo a melhoria das capacidades físicas e motoras daqueles que precisam de tratamentos fisioterapêuticos, a Miotec desenvolve diversos produtos para contribuir com a qualidade de vida dos pacientes.

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"