Evolução do tratamento na fisioterapia: como demonstrar para médico e paciente

A tecnologia caminha a passos largos em várias áreas do conhecimento. E uma das áreas que tem apresentado resultados mais satisfatórios, com certeza, é a fisioterapia.

Prova disso é a evolução do tratamento na fisioterapia, principalmente, em relação às terapias de reabilitação. Afinal, são várias técnicas novas e equipamentos que surgem todos os dias e auxiliam pacientes e médicos nos mais variados ramos.

Entretanto, muitos profissionais da área ainda não sabem como demonstrar este avanço no tratamento fisioterapêutico, tanto para o paciente quanto para o médico. Você é um profissional do ramo de reabilitação que deseja saber como fazer isso? Então, veja a seguir.

Como demonstrar para o médico e o paciente essa evolução?

A avaliação feita por um fisioterapeuta é a chave da conduta terapêutica em um paciente que necessita de reabilitação. E ela tornou-se muito mais precisa e completa com os avanços tecnológicos e técnicos que surgiram nessa área.

Com a evolução nesse tipo de tratamento, o fisioterapeuta e demais profissionais que trabalham com reabilitação podem explorar da melhor forma o real estado físico do paciente, — tornando mais compreensível o que a pessoa relata sobre sua patologia ou lesão.

Assim, os distúrbios musculoesqueléticos são avaliados segundo quesitos de análise da função articular (força e mobilidade muscular), além de seu funcionamento, sendo quantificados e mensurados, complementando a anamnese e o diagnóstico do médico.

Logo, de forma alguma tal conduta visa realizar o diagnóstico que só pode ser estabelecido pelo médico, e sim, o fisioterapêutico, que envolve características e aspectos específicos, — com base na biomecânica, anatomia, fisiologia e cinesiologia — para definir as possíveis etiologias do problema.

Como a evolução do tratamento na fisioterapia contribuiu para melhores resultados?

Não tem importância qual a patologia que atinge o paciente, bem como qual o estado de desenvolvimento dessa doença, a evolução do tratamento na fisioterapia contribui para resultados terapêuticos cada vez mais satisfatórios.

Prova disso são as ferramentas tecnológicas, como o jogo Wii Fit, que pode ser executado em alguns videogames. Essa técnica funciona como um complemento para trabalhar a coordenação, o condicionamento físico e o ponto de equilíbrio dos pacientes.

Assim, o jogo além de fornecer informações sobre o desempenho físico do paciente, de acordo com o deslocamento que o mesmo realiza sobre a plataforma, ele também oferece o aspecto lúdico, segundo afirma o professor do curso de fisioterapia da USP, José Eduardo Pompeu.

E há comprovações científicas de que essa tecnologia promove flexibilidade e ganhos funcionais de movimento de modo eficaz, principalmente em pacientes com mal de Parkinson.

E não apenas o Wii Fit, como tantos outros avanços como o scanner postural, estabilizador de coluna e o biofeedback eletromiográfico comprovam a evolução do tratamento fisioterapêutico.

Portanto, o uso de inovações tecnológicas nas terapias de reabilitação, bem como na avaliação fisioterapêutica, é uma prática cada vez mais comum e trouxe a evolução do tratamento na fisioterapia.

Para tanto, é muito importante que o profissional que trabalhe na área demonstre isso para médicos e pacientes.

Gostou de nosso post sobre como demonstrar tanto para o médico quanto o paciente a evolução do tratamento na fisioterapia? Então, descubra como a tecnologia atua na reabilitação física aqui.

banner-de-ebooks-tecnologia-na-area-da-fisioterapia-1

Share on Facebook5Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn2

Miotec - Tecnologia para a vida!

A Miotec tem a missão de entender as necessidades dos pacientes e de desenvolver soluções para dar suporte aos profissionais da área da saúde, para que eles tenham mecanismos mais eficientes a favor dos tratamentos feitos.

Tendo como objetivo a melhoria das capacidades físicas e motoras daqueles que precisam de tratamentos fisioterapêuticos, a Miotec desenvolve diversos produtos para contribuir com a qualidade de vida dos pacientes.

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"