Conecte-se

    [/vt_socials]
    Fisioterapia em idosos: o que fazer para melhorar o atendimento a esse público?

    Fisioterapia em idosos: o que fazer para melhorar o atendimento a esse público?

    • 2 de agosto de 2018
    • por

    Envelhecer é natural e todos vão passar por essa etapa da vida. Contudo, apesar da maturidade emocional, esse processo acarreta alguns desgastes de saúde, inclusive no que diz respeito à perda do controle de movimentos.

    Com isso, a fisioterapia em idosos se firma como uma importante aliada: além de atuar com ações preventivas, pode contribuir para a recuperação de pacientes que já lidam com esses problemas.

    Mas o que fazer para melhorar o atendimento a esse público tão especial? No conteúdo a seguir, você encontra dicas essenciais a respeito do assunto. Confira!

    Saiba ouvir

    Trabalhar com fisioterapia em idosos é um constante exercício de ouvir. Afinal, eles têm anos e anos de experiências e muita história para contar. Ouvi-los durante um procedimento é inclusive uma forma de deixá-los mais à vontade, especialmente se a ocasião for mais delicada.

    O mesmo vale para comentários e discussões a respeito do diagnóstico recebido. Ao longo do tempo, o paciente com certeza dividirá relatos de melhoras, quadros de evolução e até mesmo insatisfação caso os resultados demorem um pouco. Então, é essencial ter carinho e paciência para que ele não se sinta desmotivado.

    Estabeleça um diálogo

    Mas não pense que ouvir é suficiente: a fisioterapia em idosos também requer interação para que seja eficiente. Portanto, mostre-se interessado e retribua o diálogo, sempre com foco em responder às dúvidas e fornecer explicações acerca do tratamento.

    Lembre-se de que alguns idosos podem apresentar dificuldades de audição. Caso perceba esse problema, não hesite em elevar a voz até que eles se sintam confortáveis e você se faça ser entendido. Essa é uma troca mútua que precisa ser constante para dar certo.

    Aconselhe com respeito e cuidado

    Por mais experiências que pessoas mais velhas demonstrem, em alguns casos elas precisam receber conselhos — principalmente sobre assuntos que não dominam, como pode ser o caso da fisioterapia. Tal situação acontece muito no tratamento em idosos, pois eles devem receber orientações sobre práticas a serem evitadas e hábitos que devem adotar para obter resultados positivos.

    Mas isso não significa que você tenha que ser imperativo e usar um tom de ordem. Muito pelo contrário: é essencial ter cuidado para que os pacientes sejam receptivos quanto às informações e entendam que o que você fala é totalmente em função da melhora de cada um. Muitos deles podem se recusar a princípio, mas com paciência e aos poucos é possível abrir um caminho mais amplo de comunicação.

    Mantenha contato

    Na fisioterapia em idosos, é muito importante manter contato com os pacientes. Se eles deixam de frequentar as consultas ou demoram a agendar um retorno, pode ficar mais complicado construir um relacionamento saudável e fornecer um atendimento de qualidade.

    Por isso, nunca deixe de telefonar periodicamente, seja para saber como estão, seja para lembrar a necessidade de um agendamento. Quando os pacientes percebem que você se preocupa com a recuperação deles, costumam retribuir na mesma intensidade e todos saem ganhando: eles com mais saúde, e você com a certeza de que fez um ótimo trabalho.

    Também pode ser necessário lidar diretamente com a família ou os responsáveis pelo paciente. Mesmo assim, permaneça disponível e mantenha a comunicação sempre aberta com aqueles que se preocupam com a evolução do idoso. Essa relação de confiança com o profissional tende a ser um motivo de conforto e tranquilidade para todos.

    Estude sobre as técnicas recomendadas para a terceira idade

    Outra atitude recomendável é focar toda a atenção em técnicas que beneficiam os idosos nas suas mais diversas condições. Aprender sobre doenças comuns na terceira idade ou comprar equipamentos que possibilitem tratamentos específicos são alguns dos exemplos.

    O mercado fisioterápico cresceu muito nos últimos tempos e as metodologias se diversificaram, assim como os recursos que podem ser utilizados nos tratamentos.

    Quanto mais você se especializar na fisioterapia geriátrica, maiores serão suas chances de fidelizar esse tipo de público. Como já citamos, as habilidades comportamentais do profissional são uma parte muito importante para prestar um bom atendimento, mas não deixe os aspectos técnicos de lado e busque conhecimento constantemente para oferecer sempre o melhor.

    Procure facilitar a rotina do idoso

    Esse é um diferencial que muitos fisioterapeutas já perceberam, mas nem todos oferecem. As dificuldades vividas no dia a dia pelo idoso fazem com que ele tenha algumas limitações, portanto é essencial prestar atenção nos detalhes.

    No consultório, a acessibilidade é imprescindível e tudo o que puder facilitar a locomoção dos pacientes deve ser feito. O profissional que consegue flexibilizar seu serviço e atender em domicílio também deve sair ganhando.

    São muitos os idosos que optam pelo homecare (ou atendimento domiciliar) por necessidade. Em outros casos, mesmo com a possibilidade de se deslocar até a clínica, o idoso ou seus familiares preferem que o atendimento seja feito em casa, para uma maior comodidade na rotina. Além de manter uma postura bastante respeitosa no lar das pessoas, não se esqueça de organizar bem a agenda para não prejudicar sua imagem profissional com faltas ou atrasos por conta do deslocamento.

    Faça um trabalho preventivo

    Muitas vezes, o paciente chega para tratar determinado problema e acha que a fisioterapia serve apenas para promover sua recuperação naquele momento. Essa é uma oportunidade para conscientizar a pessoa ou sua família de que os cuidados preventivos são fundamentais para ter uma boa vida na terceira idade.

    Aliás, esse pode ser um dos maiores focos do seu atendimento. Um tratamento contínuo é capaz de gerar inúmeros benefícios, entre eles:

    • melhora da coordenação motora;
    • diminuição das dores;
    • aumento do equilíbrio;
    • redução da chance de quedas e lesões;
    • manutenção da flexibilidade nos movimentos cotidianos;
    • preservação da força muscular.

    Além disso, o bem-estar de manter o corpo em movimento é benéfico em qualquer fase da vida. O idoso que tem o hábito de fazer fisioterapia sabe disso, mesmo que não apresente nenhuma complicação. Logo, aproveite para explorar tal questão e conquistar pacientes, ajudando-os a ter uma qualidade de vida ainda melhor.

    Como você pôde perceber, a fisioterapia em idosos exige bastante dedicação e tempo. Se esse último item se mostra escasso em sua rotina, não deixe seus pacientes na mão: saiba mais sobre o monitoramento remoto e entenda por que investir na área.

    A Miotec tem a missão de entender as necessidades dos pacientes e de desenvolver soluções para dar suporte aos profissionais da área da saúde, para que eles tenham mecanismos mais eficientes a favor dos tratamentos feitos. Tendo como objetivo a melhoria das capacidades físicas e motoras daqueles que precisam de tratamentos fisioterapêuticos, a Miotec desenvolve diversos produtos para contribuir com a qualidade de vida dos pacientes.

    Ad
    Ad
    Ad
    Ad

    A Miotec

    Fundada em 2002, a MIOTEC atua na área da saúde, desenvolvendo, produzindo e comercializando ferramentas tecnológicas direcionadas à pesquisas e terapias de prevenção, reabilitação e monitoramento, objetivando melhoria do bem-estar e do desempenho físico humano.

    Conecte-se

    Instagram

    No posts available!
    ×