Como ensinar seu paciente a treinar a contração do assoalho pélvico em casa

O treino e a prática saudável de exercícios são a melhor maneira de fortalecer a musculatura do assoalho pélvico, mas o que recomendar para o paciente quando ele não está na clínica, sendo acompanhado por você? Como ajudá-lo a obter melhores resultados e agilizar o processo de recuperação além de suas sessões regulares?

Aqui você encontra algumas formas de ensinar seu paciente a treinar a contração da musculatura do assoalho pélvico em casa de forma simples e eficaz.

 

Exercícios Kegel

Os exercícios Kegel consistem na contração e descontração das musculaturas do assoalho pélvico com o objetivo de restaurar o tônus muscular e a força do músculo de modo a prevenir ou reduzir problemas do assoalho pélvico e melhorar a prática da atividade sexual. 
Estes exercícios foram detalhados pela primeira vez pelo médico Arnold Kegel em 1948, um ginecologista que os inventou para corrigir a fraqueza vaginal sem cirurgia. Embora originalmente pensados para as mulheres, os exercícios de Kegel também podem ser praticados por homens, ajudando até mesmo a prevenir a disfunção erétil.

Um exemplo de um exercício de Kegel é, após realizar a identificação dos músculos do assoalho pélvico com a paciente recomendar que, em casa, a paciente com a bexiga vazia, encontre uma posição confortável, preferencialmente deitada e realize contrações de 5 segundos, mantendo os músculos contraídos e em seguida relaxando por 10 segundos, efetuando repetições desta sequência.

Exercícios com cone vaginal

Cones vaginais são pequenas capsulas de formato anatômico e com um determinado peso que ao serem inseridos na vagina produzem o estímulo necessário para que a mulher contraia a musculatura do assoalho pélvico de forma correta. É importante definir o peso indicado a sua paciente. Em média o cone correto é aquele que sob contração intensa pode ser segurado de 2 a 8 segundos e com a vagina relaxada caia.
A intensidade dos exercícios irão variar de acordo com os objetivos do tratamento, lembrando que os exercícios com cone vaginal sempre objetiva o ganho de força e portanto deve ser utilizado nesta situação.

Exercícios com Ben Wa

O Ben Wa é uma técnica de origem indiana que consiste em pequenas bolas normalmente ligadas por um cordão que tem o mesmo objetivo dos exercícios de Kegel, ou seja, fortalecer o tônus muscular e a força do assoalho pélvico, além de potencializar o desempenho sexual. Os movimentos realizados com o Ben Wa se tornaram popularmente conhecidos como pompoarismo e o objeto em si como bolinhas tailandesas. O Ben Wa pode ser utilizado para duas atividades distintas, são elas: Propriocepção, ou seja, a capacidade de perceber a contração e coordenação motora, que consiste em saber contrair e relaxar corretamente os músculos do assoalho pélvico e abdômen.

Exercícios com educadores vaginais

Tendo o conhecimento de como o músculo se comporta durante uma contração, é possível que a paciente utilize instrumentos “Educadores” que tragam essa informação da contração de forma que fique ao alcance dos olhos, de maneira simples.

Um exemplo disso, é o PelviFit Trainer, que é uma sonda vaginal desenvolvida com o objetivo de fornecer aos pacientes e aos profissionais da saúde uma forma rápida e prática de observar as contrações da musculatura do assoalho pélvico.
Com design anatômico e de fácil posicionamento no corpo, ela possibilita a realização de exercícios, proporcionando melhoras significativas nos problemas que atingem o assoalho pélvico.

Este dispositivo deve ser inserido na vagina, de forma que a antena fique visível para o paciente e/ou profissional.
Quando o paciente realiza a contração de forma correta a antena se movimenta para baixo. Se contração for feita de maneira errada ela se movimenta para cima.
Dessa forma, o Pelvifit Trainer possibilita a execução de diversos exercícios fazendo com que os pacientes ganhem consciência de como contrair corretamente a musculatura.

esquematico-pelvifit-03

 Utilização da sonda PelviFit Trainer

Exercícios com sondas de pressão – Biofeedback Manométrico

As sondas de Biofeedback Pressórico permitem acompanhar o exercício feito pela musculatura através de um manômetro. A utilização é simples, o sistema é constituído por sondas manométricas (Vaginal ou Anal), mangueira para condução de ar e manômetro analógico. Basta realizar a introdução da sonda no paciente e utilizar o manômetro como biofeedback da contração que esta sendo realizada. Esse feedback pode ser dado tanto para o paciente como para o profissional de saúde, podendo ser utilizado em sua clinica ou fornecido ao paciente para exercícios em casa.

Um bom exemplo disto é o dispositivo de biofeedback manométrico PelviAir Unit utilizado nos exercícios de fortalecimento ou relaxamento do assoalho pélvico. Todos os exercícios devem seguir orientação do profissional de saúde.

pelviair-01

Utilização do PelviAir Unit?

 

Existem várias maneiras de treinar o assoalho pélvico em casa. Gostou do post? Deixe seu comentário!

Share on Facebook4Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0

Miotec - Tecnologia para a vida!

A Miotec tem a missão de entender as necessidades dos pacientes e de desenvolver soluções para dar suporte aos profissionais da área da saúde, para que eles tenham mecanismos mais eficientes a favor dos tratamentos feitos.

Tendo como objetivo a melhoria das capacidades físicas e motoras daqueles que precisam de tratamentos fisioterapêuticos, a Miotec desenvolve diversos produtos para contribuir com a qualidade de vida dos pacientes.

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"