Saiba quais os principais filtros utilizados nos exames de Eletromiografia!

Eletromiografia é um método de diagnóstico que é utilizado para avaliar os problemas nervosos e/ou musculares de uma pessoa. Fisioterapeutas, profissionais esportivos, fonoaudiólogos, odontólogos e médicos especializados em diversas áreas são os que mais usam essa técnica e o maior objetivo é encontrar um diagnóstico claro sobre as contrações musculares.

No post de hoje, saberemos um pouco mais sobre esse exame e quais são os principais filtros utilizados no sinal eletromiográfico. Acompanhe!

Quais profissionais usam a Eletromiografia?

No caso dos fisioterapeutas, sua intenção é avaliar padrões de respostas musculares e a correta eficácia de alguns tratamentos. Os profissionais esportivos utilizam esse exame para identificar e recomendar as melhores posições a fim de trabalhar alguns músculos e estabelecer o ponto de fadiga do atleta.

Os fonoaudiólogos monitoram a evolução de um tratamento por meio da Eletromiografia dos músculos da face. Na medicina, o exame possibilita diferenciar uma contração patológica de uma contração fisiológica, as possíveis doenças metabólicas e também, se a origem é inflamatória ou degenerativa.

Já os dentistas encontram auxilio na investigação de dores e para avaliarem o funcionamento dos músculos da ATM (Articulação Têmporomandibular).

Como é feito o exame?

São realizados em consultórios de profissionais de saúde e não é necessário o uso de sedativos ou anestesias. O paciente permanece de 10 minutos até 30 minutos deitado sobre a maca, o tempo variando de acordo com a gravidade do problema de cada caso.

Esse procedimento utiliza eletrodos que avaliam a capacidade das células nervosas em transmitirem os sinais elétricos. Os eletrodos geralmente são em forma de agulha, mas existem os superficiais também. A diferença entre os dois é fácil de ser compreendida:

Eletrodos de agulha

São inseridos na musculatura e enviam sinais ao eletromiógrafo, seguindo o equilíbrio das trocas iônicas de nível celular. É possível captar com mais precisão as informações de unidades isoladas em atividade e também em repouso.

Eletrodos superficiais

Registram as atividades de um conjunto maior de fibras e de forma mais generalizada. Logo em seguida, os sinais captados são amplificados e exibidos na tela de um aparelho de computador.

Mas como funciona esse sistema de captação? Esses sinais (sinal eletromiográfico) são sempre captados com o uso dos eletrodos de um sistema de canais acoplados junto a um amplificador e uma placa de aquisição.

Quais são os filtros no exame de Eletromiografia?

Três filtros são utilizados durante os procedimentos da Eletromiografia e na sala de exame: Filtro Low Pass, Filtro Band Pass e Filtro Band Stop. Somente por meio do uso dos filtros no exame de Eletromiografia é possível atenuar sinais em várias áreas do conhecimento e eliminar os ruídos que podem interferir na frequência do sinal de interesse, pois os filtros limpam os sinais. Aprenda a diferenciá-los:

Filtro Low Pass

Os componentes de alta frequência acima de um determinado valor são eliminados quando esse filtro é utilizado.

Filtro Band Pass

As frequências abaixo e acima dos valores selecionado de corte são removidas durante o uso desse filtro no exame.

Filtro Band Stop

Se o exame for feito com esse filtro, uma frequência específica poderá ser removida com mais facilidade.

Quer conhecer mais sobre os filtros no exame de Eletromiografia e dispositivos tecnológicos para acompanhar a musculatura ? Então conheça os eletromiógrafos da Miotec!

Você sabe por que investir no Vert 3D?

O Vert 3D é um scanner postural da coluna que utiliza a tecnologia 3D de ponta para fazer um exame quantitativo bastante preciso, oferecendo inúmeros benefícios para as clínicas de reabilitação física e seus pacientes.

Entretanto, alguns gestores ainda questionam a utilidade e as vantagens deste tipo de aparelho, sobretudo devido ao desconhecimento sobre seu funcionamento e ao receio de investir em inovação.

Saiba agora quais são as funcionalidades do Vert 3D e porque sua clínica deve fazer dele um diferencial no cuidado diário com os pacientes, aproveitando todos os ganhos relacionados à inovação tecnológica. Confira e esclareça todas as suas dúvidas!

Por que investir em inovação?

Em tempos de grande insegurança econômica e política, o investimento em inovação tornou-se um imperativo de peso para as empresas dos mais diversos segmentos. Com as clínicas de reabilitação física e demais instituições de saúde não seria diferente.

Sendo assim, a automação é um fenômeno cada vez mais presente no dia a dia de consultórios e hospitais, otimizando a realização de procedimentos clínicos e gerenciais, o que traz vantagens tanto para os profissionais quanto para seus pacientes.

O emprego qualificado da tecnologia permite a melhora no atendimento desde a recepção até o pós-consulta, agiliza a realização dos procedimentos e auxilia no acompanhamento do estado de saúde e na prevenção de complicações e enfermidades.

No entanto, um dos aspectos mais positivos da inovação tecnológica na área de saúde é a possibilidade de diagnósticos mais precisos, sendo que o scanner postural da coluna Vert 3D é um dos maiores exemplos dessa realidade, como você entenderá a seguir.

Vert 3D – o que é?

O Vert 3D é o equipamento apropriado para realização de um exame quantitativo da coluna por meio da sua medição topográfica tridimensional, de forma não invasiva e sem exposição a qualquer tipo de radiação.

Trata-se de um sistema computadorizado, desenvolvido com base em tecnologia de ponta, que permite a análise funcional da região, com foco em relevo, inclinação, curvatura e simetria de todos os segmentos cervicais, torácicos e lombares.

Dessa forma, o Vert 3D é um scanner postural 3D da coluna destinado à avaliação diagnóstica e ao acompanhamento clínico de indivíduos com disfunções como:

  • escoliose;
  • lombalgia;
  • lombociatalgia;
  • artrose e outras disfunções da região dorsal.

 

 

Tudo isso é possível graças à utilização de projeções de luz estruturada sobre as costas do paciente avaliado, como explicaremos a seguir.

Como o Vert 3D funciona?

O funcionamento do Vert 3D é baseado no conceito de estereografia por luz estruturada, uma tecnologia recentemente desenvolvida na área da medicina diagnóstica, a qual proporciona o máximo conforto ao paciente.

O indivíduo examinado recebe uma projeção de luz sobre toda a região dorsal, que deve estar desnudada, gerando imagens que são captadas por uma câmera especialmente posicionada para permitir a formação do desenho tridimensional da coluna.

Para garantir a eficiência na emissão dos dados que geram a imagem, são utilizados adesivos marcadores sobre a pele do paciente, posicionados em proeminências ósseas identificadas por meio da palpação.

O software do scanner postural 3D da coluna é constituído de três módulos operacionais que garantem a continuidade e a sincronicidade entre todas as etapas do exame:

  • o módulo óptico, que é composto pelo projetor e pela câmera e faz a emissão da luz estruturada e a captação das imagens tridimensionais;
  • o módulo computacional, responsável pelos cálculos e pela análise matemática de medidas, curvaturas e ângulos, apontando assimetrias;
  • o módulo de interpretação, que é formado pela interface visual do programa e disponibiliza as informações coletadas no monitor para visualização, registro e análise clínica.

Dessa forma, os resultados do exame tridimensional da coluna são apresentados em um modelo que pode ser girado em todas as direções, com ajuda de tabelas, gráficos e mapas de cor que facilitam a identificação dos contornos e relevos da região dorsal, bem como de deformidades e desvios posturais.

Software Vert 3D

Ao final do processo, é emitido um laudo impresso completo, com todas as informações importantes para orientar a reabilitação e o acompanhamento da evolução clínica do paciente. Essa, na verdade, é uma das vantagens do Vert 3D, sobre as quais falaremos agora.

Relatório do Vert 3D

Quais são os benefícios do Vert 3D?

O scanner postural 3D da coluna é um aparelho projetado a partir da evolução da medicina baseada em evidência, conceito que reconhece a importância dos dados quantitativos para o diagnóstico e o tratamento dos pacientes.

Assim, as clínicas de reabilitação física que investem no Vert 3D assumem um posicionamento de vanguarda no mercado da saúde, oferecendo o que há de mais avançado em termos de eficácia no acompanhamento clínico.

Outro benefício para as clínicas é a relação custo-benefício do investimento. Comparativamente ao equipamento similar (disponível somente na Alemanha), o Vert 3D tem custo cerca de três vezes menor, com a mesma qualidade em todas os aspectos do seu uso.

Os profissionais, por sua vez, contam com o suporte de um exame quantitativo altamente preciso, cujo resultado permite a comparação entre os diferentes estágios da intervenção clínica, uma vez que o histórico de cada paciente fica armazenado em um banco de dados exclusivo.

Para os pacientes, a vantagem está na eliminação da necessidade do uso de contrastes ou de radiação para realização do exame, além da ausência de qualquer desconforto durante o todo o procedimento.

Agora que você já sabe o que é scanner postural 3D da coluna e quais as vantagens do seu uso, saiba como a sua clínica pode encontrar o Vert 3D, na última seção do nosso artigo.

Como investir no Vert 3D?

Os gestores que desejam otimizar os resultados da sua clínica de fisioterapia devem partir de um bom plano de negócios, com foco na análise de todos os ganhos possíveis a partir do investimento em tecnologia e inovação.

A Miotec é a empresa brasileira detentora da patente de desenvolvimento do scanner postural 3D da coluna, com disponibilidade para atender todas as clínicas de reabilitação interessadas em adquirir o equipamento.

Na atualidade, instituições localizadas em São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Bahia já contam com o Vert 3D, sendo que existe uma cláusula contratual que prevê a exclusividade do produto em um raio de 400 mil habitantes.

Chegando ao final do nosso artigo, é importante lembrar que o Vert 3D não substitui a radiografia ou a ressonância magnética. Os três tipos de exames são complementares e devem ser utilizados para embasar as decisões dos médicos, fisioterapeutas e demais profissionais responsáveis pelo tratamento.

Conheça melhor o scanner postural 3D da coluna e todas as suas funcionalidades acessando a página da Miotec agora mesmo!

Eventos de fisioterapia que você precisar ir em 2019

No decorrer de 2019, diversos eventos voltados para a área de fisioterapia serão realizados no Brasil. Ideais para conhecer as novas técnicas e pesquisas, além de aprofundar os aprendizados no campo da medicina. Estes eventos de fisioterapia são responsáveis por reunir profissionais de todo o país e renomados fisioterapeutas internacionais.

No calendário estão marcados importantes congressos, palestras e simpósios, considerados indispensáveis para a carreira de qualquer fisioterapeuta. Por isso, marcar presença é essencial para o profissional adquirir mais conhecimento e troca de experiências.

Neste ano, dividimos os eventos em 2 categorias: Fisioterapia Geral e Fisioterapia Pélvica.  Gostaria de conhecer quais eventos de fisioterapia já estão confirmados para 2019? Então organize sua agenda e confira as datas!

Eventos de Fisioterapia 2019

VIII Congresso Internacional de Osteopatia (CIOST)

A 8ª edição do Congresso Internacional de Osteopatia acontecerá entre os dias 30 de maio a 02 de junho, no Centro de Convenções Expo Dom Pedro – Campinas/SP.

Este congresso traz o que há de mais novo e atual no cenário mundial da osteopatia com um time de palestrantes nacionais e internacionais de peso. No CIOST deste ano, ocorrerá também o 1º Simpósio de Terapia Manual, debatendo temas relacionados a Neurociência da Dor. Acessar site do congresso.

 

11º Congresso Internacional de Fisioterapia

Organizado pela Sociedade Brasileira de Fisioterapia, esse evento terá o prazer de reunir conferencistas internacionais e nacionais que compartilharão seus conhecimentos atuais sobre a aplicabilidade clínica, destinado a acadêmicos, docentes, profissionais e todos os pesquisadores do campo da fisioterapia em geral.

O 11º Congresso Internacional de Fisioterapia ocorrerá no FIESTA BAHIA HOTEL, na Av. Antônio Carlos Magalhães, 741, Itaigara – Salvador – Bahia

de 19 a 22 de setembro de 2019. As inscrições podem ser realizadas no site do evento.

 

Congresso Internacional e Nacional | Sonafe Brasil 2019

O IX Congresso Brasileiro e VII Congresso Internacional da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva e da Atividade Física acontecerá em Fortaleza (CE) nos dias 23 a 26 de Outubro de 2019.

Segundo Albino Luciano Abreu Pereira, presidente do Congresso, é uma oportunidade única para aprendizado e troca de conhecimentos com os maiores nomes nacionais e internacionais da Fisioterapia Esportiva. Veja o Site do evento.

Eventos de Fisioterapia Pélvica 2019

7º Congresso Internacional Inspirar de Fisioterapia Pélvica –  UROGINECOLOGIA FUNCIONAL juntamente com o 7º Congresso Internacional da ABFP

Considerado o evento mais relevante no cenário nacional da área, ocorrerá em Curitiba – PR nos dias 2 a 5 de maio de 2019

Neste ano, o evento terá como tema uma visão integral da pélvis e suas disfunções, contemplando diversos assuntos como as disfunções anorretais, as disfunções neurológicas, os prolapsos, disfunções sexuais e miccionais em homens, mulheres e crianças, com um  programa vasto com profissionais nacionais e internacionais.

Detalhes do congresso podem ser acessados no site oficial.

Já organizou sua agenda para participar desses eventos de fisioterapia? Então compartilhe este artigo nas redes sociais e ajude outros profissionais da área a conhecerem também!  Caso seu evento preferido não esteja aqui, entre em contato informando os dados.

Monitoramento remoto de pacientes: por que investir na área

Estamos na era da tecnologia e ela oferece diversas formas de melhorar o nosso dia a dia — e, principalmente, a nossa saúde. Muitos foram os avanços tecnológicos para a medicina; não apenas na criação de medicamentos e novos aparelhos para exames, mas também no atendimento e acompanhamento dos pacientes. Uma dessas inovações é o monitoramento remoto de pacientes.

No post de hoje, vamos explicar o motivo para investir nesse monitoramento, explicando suas vantagens e em que a tecnologia consiste. Ficou interessada? Então, acompanhe!

O que é monitoramento remoto de pacientes (RPM)?

A sigla RPM vem do inglês para Remote Patient Monitoring, mas, em bom português, significa monitoramento remoto de pacientes e permite que indivíduos com doenças crônicas sejam acompanhados a todo momento pelos médicos responsáveis.

Além de ter um baixo custo, outra vantagem é o fato de reduzir o número de hospitalizações. Assim, os portadores de hipertensão, diabetes e outras patologias conseguem ter uma melhor qualidade de vida.

Para que ocorra o monitoramento, os pacientes precisam utilizar um tipo de pulseira ou qualquer outro dispositivo tecnológico que se encaixa como uma peça de vestuário. Ela fica o tempo todo conectada à internet e, assim, consegue transmitir dados importantes do paciente para o sistema em tempo real.

Dessa forma, qualquer sinal vital que saia do parâmetro normal é enviado como alerta para a equipe de saúde responsável por aquela pessoa. Vários sinais já podem ser monitorados:

  • glicose;
  • índice de oxigenação;
  • batimentos cardíacos;
  • ​pressão arterial.

Esses são os sinais mais básicos. Há outros com tecnologia mais avançada que conseguem medir outros sinais importantes.

Quais as vantagens?

1. Maior economia

É simples pensar que monitorar o paciente e agir de forma preventiva consegue economizar uma série de recursos e tempo dos profissionais de saúde para a clínica.

Quando alguém tem um ataque cardíaco, por exemplo, é necessário utilizar um atendimento de urgência e aplicar diversas drogas. Após isso, o paciente precisará ficar hospitalizado, consumindo recursos do local e a atenção dos profissionais que poderia estar voltada para outras pessoas em estados mais graves — ou mesmo atuando de forma interna, melhorando o atendimento e o fluxo de pacientes.

Com o monitoramento remoto fica muito mais fácil de evitar esse tipo de situação. Por exemplo, se a pressão arterial do indivíduo começa a sair do padrão e vai para números perigosos, rapidamente a equipe de saúde recebe o alerta e, assim, o médico pode intervir antes que o pior aconteça. Isso pode ser feito na própria residência da pessoa, por exemplo.

2. Qualidade de vida

É muito mais cômodo para o paciente ser atendido em sua própria casa e não devemos levar em consideração apenas isso. Ele se sentirá confortável emocionalmente, o que refletirá positivamente na sua saúde naquele momento. Portanto, o atendimento domiciliar é uma tendência para os próximos anos e beneficia os dois lados da moeda.

3. Consumo de medicamentos controlado

Esse talvez seja um dos maiores problemas que os médicos enfrentam em relação aos pacientes. Muitos não consomem na hora correta — ou mesmo passam dias sem tomá-los — e só usam quando sentem que alguma coisa não vai bem. Além disso, muitos não monitoram quando a medicação está perto de acabar e passam alguns dias sem consumi-la antes de adquirir uma nova caixa.

Esse tipo de dispositivo é uma excelente forma de lembrar esses horários e evitar que o paciente adoeça. Ele também oferece um alerta para a equipe de saúde, informando que o medicamento já está perto do fim.

Percebeu como o monitoramento remoto de pacientes guarda inúmeras vantagens? Compartilhe-as nas redes sociais e mostre as novidades do mercado!

banner-de-ebooks-tecnologia-na-area-da-fisioterapia-1

Inspire-se: A principal aposta para sua clínica é..

Bom, o ano está praticamente encerrado.

Mas isso não significa que é hora de parar; para deslanchar sua clínica em 2018, agora é a hora para ficar completamente em dia com as novidades do mercado e as apostas para ter sucesso em Fisioterapia.

Neste cenário, o uso inteligente da tecnologia é a grande aposta para quem quer ter uma clínica diferenciada e cheia de pacientes.

Por isso, os artigos que trouxe hoje falam sobre algumas das oportunidades de inovação trazidas pela tecnologia que você pode usar o quanto antes. 

Principal aposta para sua clínica

Gostou deste post e de nossas dicas ?

Assine nossa Newsletter e receber a próxima edição em primeira mão por e-mail, basta preencher seus dados após clicar no banner abaixo:

Abraços,

-- 
Tulio Arrial
Coordenador de Contas
Tel: (51) 3061.1111 ou (51) 3227.0023

Tecnologia na área da saúde: como ela pode ajudar uma clínica?

Os recursos tecnológicos revolucionam cada vez mais a vida das pessoas nos dias atuais. Nas clínicas essa tecnologia tem trazido muitos benefícios para os profissionais, pois se une à medicina a fim de oferecer o melhor tratamento aos clientes. A presença de equipamentos tecnológicos em uma clínica chama a atenção dos pacientes, o que gera uma confiança nos procedimentos por serem diferenciados e eficientes.

O uso da tecnologia na área da saúde é uma tendência que agrega valor no tratamento, no atendimento e na percepção que o paciente tem da clínica. Não são apenas aparelhos eletrônicos, mas sim métodos de computação eficazes para dar mais qualidade de vida às pessoas, reduzindo o tempo de reabilitação e agilizando resultados.

Essa inovação tecnológica aplicada à saúde tem revolucionado o tratamento de doenças e facilitado o trabalho dos profissionais. Sendo assim, neste post vamos abordar algumas aplicações de tecnologia na saúde e como elas têm influenciado essa área. Boa leitura!

Prevenção

Os exames se tornam mais simples e mais seguros com o grande avanço tecnológico e com as novas descobertas. Desse modo, a precisão dos diagnósticos melhora muito, o que, consequentemente, diminui as chances de erros. Essa melhoria garante que a escolha do tratamento seja a melhor possível para cada patologia.Sendo assim, esse novo método de realizar os exames são eficazes para prevenir que o problema se agrave e para prevenir doenças.

Há alguns anos, para se descobrir uma doença, diversos exames dolorosos e agressivos eram necessários. A tecnologia permite detectar qualquer problema em pouco tempo e sem a necessidade desse tipo de exame invasivo. A tomografia computadorizada e a ressonância magnética são dois bons exemplos dos grandes avanços tecnológicos na medicina.

Gestão

A prática médica tende a ser muito mais produtiva e prazerosa quando é aliada à tecnologia. Sistemas de gestão facilitam no gerenciamento da clínica, além de oferecer maior qualidade no atendimento dos clientes. 

Ter um sistema como esse é assegurar tranquilidade e transparência para a clínica. Visto que ele realiza a organização de todas as tarefas administrativas, tais como: agendamento de consultas, questões financeiras e prontuários eletrônicos.

Tratamento

Os equipamentos que possuem tecnologia avançada são capazes de realizar procedimentos mais rápidos e mais precisos nos pacientes. Sem contar que, por meio deles, o médico consegue ver o corpo humano de forma nítida e em três dimensões, o que é muito relevante para intervir rapidamente e com pontualidade.

Um bom exemplo de melhoria nos tratamentos é a utilização da tecnologia de imagens 3D e da realidade aumentada para a realização de cirurgias. Esses recursos já estão sendo utilizados nos Estados Unidos. São ferramentas que facilitam o trabalho do médico para analisar regiões delicadas, como olhos e cérebro.

Empoderamento dos Pacientes

Os pacientes também são beneficiados, já que contam com o acesso cada vez mais facilitado a novas plataformas, dispositivos e outros meios de cuidar da saúde. A tecnologia mobile (dispositivos, aplicativos e smartphones desenvolvidos para a saúde), por exemplo, ajuda muito na prevenção e na confiança do tratamento.

Outro bom exemplo são os wearables. São dispositivos vestíveis que medem a quantidade de calorias gastas no dia, frequência cardíaca, quantidade de passos dados e a qualidade do sono do paciente. Desse modo, é possível compartilhar os dados com o médico e acompanhar o tratamento em casa. Claro que não podemos nos esquecer da grande contribuição das redes sociais, como o Facebook, por exemplo, pois permitem que os pacientes tirem dúvidas sobre a saúde pelas plataformas online.

Com a presença da tecnologia na área da saúde, os tratamentos serão mais confiáveis e eficazes, os exames serão realizados de forma rápida e os pacientes serão mais responsáveis e engajados com o tratamento. A utilização de equipamentos inovadores e uma simples interação com os clientes pelas redes sociais, por exemplo, farão a diferença na sua clínica.

Você curtiu este post? Tem algo a acrescentar sobre o assunto? Então deixe um comentário neste texto e compartilhe conosco a sua opinião e as suas ideias.

Tecnologia diagnóstica: a importância de acompanhar os avanços

A Tecnologia diagnóstica vem revolucionando a identificação precoce de doenças, a sensibilidade ao apontar anormalidades fisiológicas e a reabilitação física dos pacientes.
As aplicações da tecnologia para a avaliação clínica dos problemas de saúde mostram o quanto essa ferramenta contribuiu para o aumento da qualidade de vida ou diminuição das intervenções desnecessárias.

Porém, é preciso acompanhar os avanços nessa área, assim como aprimorar os conhecimentos científicos para fornecer um tratamento efetivo, seguro e adequado às condições clínicas do paciente.

Quer entender por que é importante acompanhar as inovações na área da tecnologia diagnóstica? Então, fique por aqui e compreenda esses novos conceitos!

Benefícios clínicos da tecnologia diagnóstica

Por meio dos recursos tecnológicos é possível observar uma disfunção muscular em estágio inicial e instituir medidas que minimizem o impacto para o paciente, que não precisará ficar imobilizado.

Além disso, a tecnologia assegura a monitorização dos achados clínicos na periodicidade recomendada para cada situação de saúde. Em casos de problemas articulares, reabilitação dos membros ou mudanças de postura, devem ser seguidos os protocolos recomendados.

Vantagens econômicas dos avanços tecnológicos

A medida em que as enfermidades são diagnosticadas precocemente e com mais precisão, o tratamento empírico vai se tornando cada vez menos frequente. Isso se reflete na farmacoterapia eficaz e com a minimização dos efeitos adversos.

Sendo assim, os custos relacionados às complicações musculares, desenvolvimento de dores crônicas e uso de muitos medicamentos simultaneamente diminuem drasticamente, gerando um saldo positivo considerável.

Técnicas inovadoras que garantem sucesso na terapia

As ferramentas tecnológicas avançaram muito no campo da fisiologia muscular. Exemplo disso é a eletromiografia, técnica que mostra os registros elétricos gerados pela diferença de potencial nos músculos.

Outras metodologias envolvem um diagnóstico por meio do scanner postural 3D da coluna, esteira eletrônica para treinamento de marcha, plataforma de força e equilíbrio da postura mediante equipamentos de última geração.

Essas tecnologias também auxiliam na reorientação terapêutica, quando necessária, e tendem a reduzir a desmotivação dos pacientes frente a uma terapia de exercícios que eles não estão dispostos a realizar.

Soluções diferenciadas no diagnóstico por imagem

Os recursos tecnológicos possibilitaram uma qualidade de imagem nunca antes observada pelos mais experientes radiologistas. As particularidades dessa estratégia melhoraram o diagnóstico de forma significativa.

Por meio dos exames radiológicos é possível observar em alta definição as anormalidades fisiológicas, verificar o volume de informações geradas em apenas um procedimento, além de reduzir á exposição radiológica durante o exame.

Ademais, a tecnologia tem a grande vantagem de armazenar as imagens em dispositivos próprios ou encaminhar esses dados por meio da nuvem ou digitalização dos resultados, garantindo praticidade para os profissionais de saúde.

A Tecnologia diagnóstica veio para aperfeiçoar a reabilitação física e motora dos pacientes com distúrbios musculares. Por meio dessa inovação é possível identificar precocemente um problema, monitorar as intervenções propostas e reduzir os custos financeiros gerados.

O destaque é dado para a eletromiografia e metodologias diferenciadas de diagnóstico por imagem que, juntas, podem aumentar a chance de melhorias clínicas para o paciente.

E você, já utiliza as ferramentas tecnológicas para fazer o diagnóstico? Está antenada para as inovações nesse ramo? Aproveite e leia também Paciente desmotivado: o que fazer?

Imagem cartoon de uma profissional usando tecnologia, com as frases: Obtenha aqui ebook gratuitamente. Tecnologia na àrea de Fisioterapia Conheça as Mais Importantes

Inspire-se: a tecnologia a favor da sua clínica!

Olá, tudo bem?

O uso da tecnologia na área da saúde não é novidade por aqui. Em outras edições do Inspire-se, nós já compartilhamos alguns artigos sobre o assunto, ressaltando sua importância (e potencial!) para profissionais como você.

No entanto, na medida em que o mercado vai se tornando mais e mais competitivo, o uso estratégico da tecnologia se torna quase que obrigatório para se diferenciar.

O desafio está em entender como fazer isso em sua clínica.

Por isso, separei os conteúdos abaixo especialmente para te dar ideias:

Gostou deste post e de nossas dicas sobre tecnologia?

Assine nossa Newsletter e receber a próxima edição em primeira mão por e-mail, basta preencher seus dados após clicar no banner abaixo:

Abraços,

-- 
Tulio Arrial
Coordenador de Contas
Tel: (51) 3061.1111 ou (51) 3227.0023

Inspire-se: como se preparar para o futuro do mercado?

Olá , tudo bem?

Na última edição do Inspire-se você conferiu algumas dicas para preparar sua gestão para o ano que vem.

Grande parte de qualquer planejamento é a análise do que já passou: você só pode melhorar algo que identificou como erro, certo?

Mas muita gente esquece da segunda parte, que é inovar para melhorar.

Por isso, os artigos de hoje foram separados especialmente para te ajudar a refletir sobre inovação para a sua clínica em 2018:

Gostou deste post e de nossas dicas sobre o futuro do mercado?

Assine nossa Newsletter e receber a próxima edição em primeira mão por e-mail, basta preencher seus dados após clicar no banner abaixo:

 

Abraços,

-- 
Tulio Arrial
Coordenador de Contas
Tel: (51) 3061.1111 ou (51) 3227.0023

Realidade virtual: como ela afeta a reabilitação?

De uns tempos para cá, a realidade virtual vem ganhando espaço em nosso cotidiano. São computadores, videogames, óculos especiais e outros dispositivos que têm como principal proposta fazer com que o indivíduo se sinta imerso em uma espécie de existência fictícia”.

Mas até onde essa vertente da tecnologia pode ajudar também na área da saúde? Por exemplo: imagine um paciente que perdeu movimentos de determinadas parte do corpo e precisa se submeter à fisioterapia. E se esses exercícios pudessem ser monitorados com o uso de cenários de realidade virtual? Não estaria o paciente recebendo estímulos musculares bem maiores?

É por essa razão que a realidade virtual já está sendo utilizada como parte do tratamento para alguns pacientes em reabilitação, sendo uma maneira mais lúdica de aplicar os exercícios comuns à essa fase. Além disso, os aparelhos contam com a tecnologia de sensor Kinect, capaz de escanear e reconhecer os movimentos do indivíduo e inseri-los no contexto.

Para você entender melhor, listamos abaixo alguns benefícios que somente esse sistema de reabilitação pode oferecer. Acompanhe:

Realidade virtual: Motivação para os pacientes

O objetivo do tratamento de reabilitação é estimular os movimentos musculares de modo que o paciente crie uma memória motora. A partir daí, os movimentos passam a ocorrer sem que ele precise “pensar” muito neles.

Esse nível só é alcançado por meio de muita repetição. Entretanto, ficar repetindo movimentos de forma inveterada todos os dias na fisioterapia é um processo que, com o passar do tempo, pode desmotivar o paciente, que passa a acreditar que o tratamento é monótono e pouco produtivo.

É nesse contexto, então, que entra a realidade virtual. Com sua utilização, o paciente recebe um feedback dos seus movimentos e sente como se estivesse saindo da sala de fisioterapia (ou da sua casa) para a vida real. Dentro do ambiente digital, ele interage com objetos e situações diferenciadas que criam uma ideia positiva do processo, fazendo com que ele busque mais precisão em seu desempenho com o passar dos dias.

Equilíbrio estático nos processos

Embora ainda esteja em fase de estudos, médicos e pesquisadores do assunto têm notado uma melhora no equilíbrio estático de pacientes tratados por meio da realidade virtual.

Tanto a velocidade média quanto o deslocamento do centro da pressão apresentam-se diferentes entre pessoas que adotaram o modelo convencional de fisioterapia e outras que utilizam essa nova modalidade.

Essa avaliação é feita com o uso de um aplicativo inserido na própria plataforma que é capaz de mensurar esses dois fatores. É a partir daí que eles podem ser comparados a outros modelos mais convencionais.

Entretenimento com progresso

Pessoas de todas as faixas etárias se rendem aos encantos de uma tecnologia bem aplicada. Os videogames, por exemplo, estão cada vez abandonando mais seu status de brinquedo infanto-juvenil para se tornar uma atração para todas as idades.

Pessoas que sofreram traumas ou acidentes e se encontram em fase de reabilitação ainda não estão aptas a participar de partidas normais. Entretanto, por meio do tratamento com a realidade virtual, as sessões se tornam mais interativas e permitem que pacientes que nutrem uma paixão por videogames se sintam novamente inseridos nos jogos.

Ao mesmo tempo em que a fisioterapia traz resultados mais rápidos, o paciente tem momentos de entretenimento e diversão. O fato de ir à fisioterapia soará mais como um momento agradável, talvez até de lazer (com responsabilidades inclusas, é claro), diferente de outros métodos que se tornam maçantes e o paciente sente que está “saindo de casa para sentir dor”. Não que a dor não possa aparecer em alguns momentos, mas ela será mesclada à sensação de diversão e dever cumprido.

Autonomia na recuperação

A realidade virtual promove maior independência aos pacientes devido a dois fatores: o primeiro tem relação com o equilíbrio adquirido e os resultados que costumam surgir mais depressa, conforme já citamos acima. Já o segundo deriva dos métodos utilizados, que permitem que eles utilizem outras habilidades para atingir seus objetivos de reabilitação.

Há, por exemplo, sistema interligados com mapas que contêm imagens de ruas e avenidas transmitidas via satélite. Nesse caso, enquanto “caminha” pelas ruas, o paciente passa por uma espécie de atualização do que mudou em sua cidade.

É natural que pessoas que perderam os movimentos há algum tempo se, por um milagre, acordassem recuperadas de um dia para outro, provavelmente não saberiam “se virar” na atual configuração do ambiente em que vivem. Por meio desse tipo de sistema, é como se elas recuperassem um pouco a sua autonomia e capacidade de se deslocar por si mesmas.

Isso eleva a autoestima do paciente e se reflete em suas atividades do dia a dia, fazendo com que ele conquiste uma parcela a mais de independência.

Imersão total no ambiente de recuperação

O BioMovi é um aparelho inovador que vem conquistando espaço no campo de reabilitações via realidade virtual. Ele funciona como uma espécie de videogame que transporta o paciente a um cenário virtual. Entretanto, a função do joystick em jogos convencionais é substituída pela contração muscular.

Essa contração é captada pelo aparelho (biofeedback eletromiográfico) e atua no movimento de elementos do jogo, que ainda mostra a pontuação de acordo com a intensidade e eficiência do movimento. Inclusive, um gráfico é exibido para mostrar toda a atividade muscular desempenhada.

Terapeuta acompanhando paciente durante o jogo do BioMovi – Blockbreaker. Paciente deve quebrar os blocos com movimento e atividade elétrica do braço

Durante o procedimento, o paciente é capaz até mesmo de se esquecer que está em uma terapia, visto a total interação em atividades cotidianas que têm parecido tão distantes para ele na vida real.

Nesse caso, o sensor Kinect e os óculos de realidade virtual são utilizados de forma conjunta, a fim de criar todo um cenário onde o paciente vai interagir e acompanhar cada passo da sua evolução, que certamente acontecerá de forma mais rápida.

Como você pôde ver, o uso da tecnologia para melhorar a saúde e processos de reabilitação vem sendo difundido em larga escala. Trata-se de uma forma inteligente de utilizar os recursos que temos disponíveis para promover melhor qualidade de vida para pessoas que perderam funções motoras devido a acidentes, doenças ou traumas.

Entendeu como a realidade virtual é capaz de afetar positivamente os resultados de um tratamento de reabilitação? Viu como ela tem inúmeras vantagens sobre o procedimento normal ao qual estamos acostumados? Para entender melhor, leia também esse nosso artigo que explica de forma mais aprofundada como funciona a tecnologia BioMovi. Até lá!