Por que é interessante usar eletrodo descartável?

Graças aos avanços da medicina, as terapias de reabilitação muscular estão cada vez mais eficientes, baseando-se, muitas vezes, na captação da atividade elétrica do músculo durante o repouso ou uma contração (a chamada eletromiografia), ou na transferência de energia elétrica por meio de um eletroestimulador.

Esses métodos permitem estudar o comportamento muscular, a qualidade das contrações, verificar o comportamento de alguns órgãos e estimular a produção de endorfina, além de identificar e tratar disfunções. Para isso, a escolha de um eletrodo que fará a captação do sinal muscular é de fundamental importância no processo de avaliação e tratamento do paciente.

Neste post você conhecerá melhor o eletrodo descartável e descobrirá as principais vantagens associadas ao uso desse tipo de suprimento. Confira!

O que é o eletrodo descartável

Os eletrodos são pequenos dispositivos de transmissão. Eles devem ser posicionados de forma rente à pele para criar uma superfície de detecção (ou troca) de energias por meio da sua interface. 

Assim, é possível afirmar que o eletrodo descartável é o acessório responsável pela conexão entre o corpo e o sistema de coleta utilizado em um tratamento, exame ou avaliação.

Esses dispositivos são normalmente vistos em eletrocardiogramas, testes de esforço e outros procedimentos cardiológicos, nos quais o eletrodo é adesivado no peito do paciente para coletar sinais miográficos do organismo.

No entanto, seu uso também é aproveitado em testes neurofisiológicos, atividades de fisioterapia, uroginecologia, fonoaudiologia e diversas outras áreas da saúde.

A Norma Brasileira (NBR) 16628 de 09/2017 é um conjunto de regras divulgadas pela ABNT, que estabelece os requisitos básicos de segurança e de desempenho para todos os eletrodos descartáveis utilizados na eletrocardiografia — ou seja, nos procedimentos relacionados à manutenção da saúde do coração. 

Tipos de eletrodos descartáveis

Existe uma grande variedade de eletrodos no mercado, que podem ser classificados quanto à sua forma, ao tamanho e ao material. No entanto, os dispositivos mais utilizados costumam ser restritos a apenas 3 tipos: superficiais, intracavitários ou invasivos.

Superficiais

Os eletrodos de superfície apenas se diferenciam dos reutilizáveis por sua menor durabilidade, tendo em vista que devem ser trocados a cada sessão. No geral, são os mais comuns de serem vistos, bastante usados em recuperações musculares, procedimentos de eletroestimulação e exames cardiológicos.

Intracavitários

Os eletrodos intracavitários (também conhecidos como “sondas intracavitárias“) são dispositivos anatômicos que devem ser utilizados para avaliação e musculatura do assoalho pélvico — eles são muito comuns na área de urologia e ginecologia.    

Disponíveis tanto em versões permanentes quanto descartáveis como as sondas PelviFit, esses tipos de eletrodos são normalmente feitos de plástico e extremidades metálicas. Os modelos reutilizáveis devem ser esterilizados de acordo com as orientações da legislação vigente.

Invasivos

Os eletrodos que procuram atingir camadas mais profundas dos músculos são denominados invasivos e podem ser comercializados em formatos de agulhas ou fios metálicos. Por apresentarem maior chance de desconforto ao paciente, são usados apenas em casos específicos, como exames de eletroneuromiografia.

Vantagens dos eletrodos descartáveis

Os eletrodos descartáveis são uma excelente solução para clínicas com muitos clientes ou pacientes que precisam remover e substituir eletrodos com frequência. Suas principais vantagens são:

Higiene

O eletrodo descartável só pode ser usado uma única vez. Isso reduz a necessidade de esterilizações frequentes e aumenta a confiança do paciente, que verá que seu dispositivo é limpo e nunca foi usado antes. 

Um estudo publicado pela revista Clinical Neurophysiology comprovou que o uso de dispositivos descartáveis reduz o risco de infecções em pacientes. Como se não bastasse, eles ainda apresentam uma melhor performance em comparação com os reutilizáveis.

Praticidade

O eletrodo descartável é de fácil colocação, já que geralmente dispensa o uso de gel ou fita adesiva. Além disso, é possível obter embalagens com diversas unidades já esterilizadas e compatíveis com inúmeros tipos de conectores.

Essa vantagem também facilita o relacionamento da clínica com a Vigilância Sanitária Estadual, já que a armazenagem de sondas reutilizáveis pode ser mal vista pelos agentes de fiscalização.

De acordo com as normas atuais, a clínica precisa dispor de um cômodo especializado para a assepsia de dispositivos ou ter uma parceria firmada em contrato com alguma empresa que realize esse serviço.

Usabilidade

O eletrodo descartável pode ser usado tanto como um captador de energia (conectado ao eletromiógrafo) quanto como um eletroestimulador, destinado a enviar a carga elétrica que faça a musculatura do paciente a contrair.

Essa versatilidade garante a efetividade de tratamentos para a incontinência urinária, o alívio de dores crônicas, para exercícios de fortalecimento e diversas outras abordagens na área da saúde. Além disso, os formatos de cada dispositivo se adaptam facilmente à anatomia do paciente que fará uso deles.

Custos

O preço de um eletrodo descartável costuma ser bem mais bem atrativo do que o preço do permanente. Mesmo se o valor unitário não apresentasse muitas diferenças, o custo para a esterilização frequente de produtos reutilizáveis pode ser superior à aquisição de embalagens fechadas dos dispositivos já prontos para o uso.

Modelos de eletrodos descartáveis

Os modelos de eletrodos descartáveis mais conhecidos são fabricados por três marcas: 

Meditrace

O eletrodo Meditrace simples é universal, com máxima adesão à pele, rápida estabilização e versões tanto adultas quanto infantis. Seu valor unitário varia entre R$1,50 e R$1,65.

Double Trace

Como o próprio nome já diz, o Double Trace é um eletrodo duplo, com uma distância entre polos de 2cm. Seu custo varia de R$1,80 a R$2,60 por unidade e seu uso é ideal para a eletromiografia de musculaturas pequenas, como as do rosto ou das mãos.

Maxicor

O Maxicor Neonatal é um eletrodo simples, composto por um rebite de prata, espuma adesivada, lâmina protetora e gel condutor sólido. Seu uso também é indicado para musculaturas pequenas. Cada unidade custa R$1,50.

Sonda PelviFit

A Sonda Vaginal/Anal PelviFit é utilizada para realizar a captação do sinal de eletromiografia e biofeedback ou em situações onde se necessite da estimulação muscular da região do períneo. Cada unidade custa R$2,70 e é comercializada em pacote com 10 unidades.

Diferenças entre os modelos

Para a eletromiografia, o uso de dois eletrodos sempre é requisitado. Assim, devem ser aplicados dois dos eletrodos simples. O duplo já vem com duas partes metálicas que garantem uma melhor adaptação para esse procedimento. 

Por outro lado, as marcas simples também podem ser usadas tanto para a realização de eletromiografias quanto para eletrocardiogramas. Por fim, a qualidade de um eletrodo descartável pode ser mensurada pela precisão e pela qualidade de seu sinal (baixa impedância). 

Miotec trabalha apenas com os eletrodos de alto nível, que contam com tecnologia de ponta e boa adesão à pele. Se você deseja conhecer a excelência desses produtos de perto, entre em contato conosco e faça seu orçamento!

Nossa equipe terá muito prazer em atendê-lo!

Miotec - Tecnologia para a vida!

A Miotec tem a missão de entender as necessidades dos pacientes e de desenvolver soluções para dar suporte aos profissionais da área da saúde, para que eles tenham mecanismos mais eficientes a favor dos tratamentos feitos. Tendo como objetivo a melhoria das capacidades físicas e motoras daqueles que precisam de tratamentos fisioterapêuticos, a Miotec desenvolve diversos produtos para contribuir com a qualidade de vida dos pacientes.

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"