Como ensinar seu paciente a treinar a contração do assoalho pélvico em casa

O treino e a prática saudável de exercícios são a melhor maneira de fortalecer a musculatura do assoalho pélvico, mas o que recomendar para o paciente quando ele não está na clínica, sendo acompanhado por você? Como ajudá-lo a obter melhores resultados e agilizar o processo de recuperação além de suas sessões regulares?

O assoalho pélvico funciona como uma rede de sustentação dos órgãos localizados na cavidade pélvica como a bexiga, reto, próstata, útero e ovários. No total, são 13 músculos que estão localizados entre o osso púbis e o cóccix, que são responsáveis pela continência urinária e fecal, além de contribuírem para a qualidade nas relações sexuais.

A seguir você encontra algumas formas de ensinar seu paciente a treinar a contração da musculatura do assoalho pélvico em casa de forma simples e eficaz.

 

Exercícios Kegel

Os exercícios Kegel consistem na contração e descontração das musculaturas do assoalho pélvico com o objetivo de restaurar o tônus muscular e a força do músculo de modo a prevenir ou reduzir problemas do assoalho pélvico e melhorar a prática da atividade sexual. 

Estes exercícios foram detalhados pela primeira vez pelo médico Arnold Kegel em 1948, um ginecologista que os inventou para corrigir a fraqueza vaginal sem cirurgia. Embora originalmente pensados para as mulheres, os exercícios de Kegel também podem ser praticados por homens, ajudando até mesmo a prevenir a disfunção erétil.

Um exemplo de um exercício de Kegel é, após realizar a identificação dos músculos do assoalho pélvico com a paciente recomendar que, em casa, a paciente com a bexiga vazia, encontre uma posição confortável, preferencialmente deitada e realize contrações de 5 segundos, mantendo os músculos contraídos e em seguida relaxando por 10 segundos, efetuando repetições desta sequência.

Exercícios com cone vaginal

Cones vaginais são pequenas capsulas de formato anatômico e com um determinado peso que ao serem inseridos na vagina produzem o estímulo necessário para que a mulher contraia a musculatura do assoalho pélvico de forma correta.

É importante definir o peso indicado a sua paciente. Em média o cone correto é aquele que sob contração intensa pode ser segurado de 2 a 8 segundos e com a vagina relaxada caia.

A intensidade dos exercícios irão variar de acordo com os objetivos do tratamento, lembrando que os exercícios com cone vaginal sempre objetiva o ganho de força e portanto deve ser utilizado nesta situação.

Exercícios com Ben Wa

O Ben Wa é uma técnica de origem indiana que consiste em pequenas bolas normalmente ligadas por um cordão que tem o mesmo objetivo dos exercícios de Kegel, ou seja, fortalecer o tônus muscular e a força do assoalho pélvico, além de potencializar o desempenho sexual. 

Os movimentos realizados com o Ben Wa se tornaram popularmente conhecidos como pompoarismo e o objeto em si como bolinhas tailandesas. O Ben Wa pode ser utilizado para duas atividades distintas, são elas: Propriocepção, ou seja, a capacidade de perceber a contração e coordenação motora, que consiste em saber contrair e relaxar corretamente os músculos do assoalho pélvico e abdômen.

Ginástica Hipopressiva (GAH)

Ginástica Hipopressiva (GAH) foi criada na década de 1950 pelo pesquisador belga Marcel Caufriez e combina exercícios da musculatura abdominal, da musculatura do assoalho pélvico e da musculatura peitoral.  A técnica surgiu como uma alternativa para conseguir a tonificação dos músculos abdominais de mulheres no pós-parto.

Com o uso dela conseguimos reduzir a pressão intra-abdominal e fortalecer os músculos internos do abdômen ao mesmo tempo. O períneo também torna-se mais forte com a prática.

Exercícios com educadores vaginais

Tendo o conhecimento de como o músculo se comporta durante uma contração, é possível que a paciente utilize instrumentos “Educadores” que tragam essa informação da contração de forma que fique ao alcance dos olhos, de maneira simples.

Um exemplo disso, é o PelviFit Trainer, que é uma sonda vaginal desenvolvida com o objetivo de fornecer aos pacientes e aos profissionais da saúde uma forma rápida e prática de observar as contrações da musculatura do assoalho pélvico. 

Com design anatômico e de fácil posicionamento no corpo, ela possibilita a realização de exercícios, proporcionando melhoras significativas nos problemas que atingem o assoalho pélvico.

Este dispositivo deve ser inserido na vagina, de forma que a antena fique visível para o paciente e/ou profissional.Quando o paciente realiza a contração de forma correta a antena se movimenta para baixo. Se contração for feita de maneira errada ela se movimenta para cima.

Dessa forma, o Pelvifit Trainer possibilita a execução de diversos exercícios fazendo com que os pacientes ganhem consciência de como contrair corretamente a musculatura.

esquematico-pelvifit-03

 Utilização da sonda PelviFit Trainer

Exercícios com sondas de pressão

Biofeedback Manométrico

As sondas de Biofeedback Pressórico permitem acompanhar o exercício feito pela musculatura através de um manômetro. A utilização é simples, o sistema é constituído por sondas manométricas (Vaginal ou Anal), mangueira para condução de ar e manômetro analógico. Basta realizar a introdução da sonda no paciente e utilizar o manômetro como biofeedback da contração que esta sendo realizada. Esse feedback pode ser dado tanto para o paciente como para o profissional de saúde, podendo ser utilizado em sua clinica ou fornecido ao paciente para exercícios em casa.

Um bom exemplo disto é o dispositivo de biofeedback manométrico PelviAir Unit utilizado nos exercícios de fortalecimento ou relaxamento do assoalho pélvico. Todos os exercícios devem seguir orientação do profissional de saúde.

pelviair-01

Utilização do PelviAir Unit

 

Exercícios com sensores de eletromiografia

Biofeedback Eletromiográfico

Sensores de eletromiografia de superfície captam a atividade elétrica dos músculos em microvolts. A técnica utiliza eletrodos ou sondas vaginais e anais que permitem monitorar de forma mais efetiva a atividade muscular do assoalho pélvico e identificar a capacidade máxima de contração, além do tempo de resposta do músculo e o tempo de contração.

Um profissional poderá auxiliar o paciente a realizar exercícios de contração muscular que ajudarão a desenvolver maior controle da bexiga e a fortalecer os músculos do assoalho pélvico. Entre as vantagens do Biofeedback Eletromiográfico está a capacidade de conseguir isolar os músculos adjacentes, ou seja, ele permite treinar apenas os músculos da região.

A utlização de biofeedback é bastante positiva na reeducação e tratamento das disfunções do assoalho pélvico. Veja aqui um vídeo da doutora Adriane Bertotto, fisioterapeuta pélvica, falando sobre a utilização das tecnologias de eletromiografia e biofeedback. 

Pompoarismo

Milenar, a arte do pompoarismo tem origem indiana, mais especificamente no tantrismo. O verbo pompoar significa contrair e a técnica consiste na contração voluntária dos músculos pélvicos. No Brasil, ganhou mais evidência a partir da década de 70, mas ainda de forma muito restrita.  

Conhecido por aumentar e melhorar o prazer sexual, o pompoarismo também permite exercitar os músculos do assoalho pélvico e trazer outros benefícios ao paciente. Para ajudar a treinar o movimento controlado dos músculos da região são utilizados acessórios como cones, bolas de Ben wa e vibradores.

Durante o exercício o paciente deve contrair fortemente a musculatura do assoalho pélvico, mantendo a contração durante 2 segundos. Depois pode relaxar e descansar por 8 segundos. Essa sequência de exercícios deve ser repetida por 10 vezes consecutivas. O tempo de contração também deve ser ampliado de acordo com o desempenho do paciente. Os exercícios devem ser realizados tanto com a pernas afastadas quanto juntas.

Exercícios para homens

Homens e mulheres apresentam os mesmos músculos no assoalho pélvico, portanto, os exercícios  também devem ser praticados por eles. Uma das formas mais simples é a prática dos exercícios Kegel para fortalecer os músculos da região. O método mais praticado pelos homens é o ato de iniciar e parar, com força, o fluxo de urina quando for urinar. Essa prática permite controlar os músculos do pênis de forma voluntária.

O urologista Dr. Andrew Siegel é o criador do método Private Gym, em que sugere a colocação de pequenos pesos ao redor da base do pênis que permitirão treinar a resistência e o controle dos músculos da região. Quando o homem realiza exercícios para o fortalecimento dos músculos da região, pode alcançar melhoras no controle da incontinência urinária, da ejaculação precoce e da disfunção erétil. 

A prática de exercícios em casa para treinar o assoalho pélvico é positiva tanto para paciente, que em pouco tempo já pode notar melhora em algumas funções dos órgãos da região, assim como para o profissional da saúde que poderá se dedicar às melhores técnicas e orientações para ajudá-lo. Trabalhando em conjunto será mais fácil atingir os resultados e garantir uma vida mais tranquila, saudável e feliz para o paciente.

Gostou das dicas sobre como treinar o assoalho pélvico? Saiba mais sobre e outros assuntos assinando a nossa newsletter.

Miotec - Tecnologia para a vida!

A Miotec tem a missão de entender as necessidades dos pacientes e de desenvolver soluções para dar suporte aos profissionais da área da saúde, para que eles tenham mecanismos mais eficientes a favor dos tratamentos feitos. Tendo como objetivo a melhoria das capacidades físicas e motoras daqueles que precisam de tratamentos fisioterapêuticos, a Miotec desenvolve diversos produtos para contribuir com a qualidade de vida dos pacientes.

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"