Incontinência fecal: o que é e como tratar?

A incontinência fecal pode afetar pessoas de todas as idades, embora acometa em grande parte as de idade mais avançada. Muito mais comum do que se imagina, ela traz muito constrangimento, afetando a autoestima, a confiança e o comportamento social.

O tratamento é essencial para melhorar a qualidade de vida dos pacientes, oferecendo meios de resolver a incontinência fecal de forma a recuperar as funções saudáveis do organismo.

Por isso, neste post, vamos mostrar o que é a incontinência fecal, suas causas e os principais tratamentos para esse problema de saúde. Continue a leitura e fique por dentro do assunto!

O que é a incontinência fecal?

Em termos clínicos, a incontinência fecal é definida pela perda involuntária ou quando o indivíduo não possui capacidade de controlar a eliminação, pelo canal anal, de gases ou fezes.

A falta de controle pode ser relacionada desde a pequenas quantidades de gás até ao escapamento de líquidos. Aos primeiros sintomas, é indicado procurar um médico proctologista, que será capaz de identificar as razões do problema e tratá-lo antes que ele se intensifique.

Quais são as principais causas da incontinência fecal? 

Na maioria dos casos, trata-se de um distúrbio da musculatura que surge associado a algum outro fator, como parto, traumas ou doenças que comprometam direta ou indiretamente o sistema anorretal. Fatores neurológicos também podem ocasionar a incontinência, por exemplo, quando há a degeneração de algum nervo ou mutação sistêmica, como no caso de diabéticos.

A inflamação da mucosa real também é capaz de alterar a sensibilidade da área, minimizando a habilidade do reto de reter substâncias e, consequentemente, aumentando a urgência por evacuação. Outros fatores, como cirurgias e medicamentos, podem alterar a velocidade intestinal.

Em crianças muito pequenas, é possível que o funcionamento do esfíncter seja comprometido por fatores ligados ao desenvolvimento. Estresse, causas psicológicas, medos e angústias, por exemplo, são responsáveis por essa alteração.

Como pode ser feito o diagnóstico?

O exame proctológico pode definir as alterações presentes na musculatura, assim como a avaliação complementar do cólon. Este deve ser feito pelo médico especialista, o coloproctologista. 

Exames de imagem, como a ressonância ou a ultrassonografia do canal anal, também identificam o problema, determinando o grau de enfraquecimento da musculatura e indicando o melhor tratamento.

Quais os principais tratamentos disponíveis?

Inicialmente, a recuperação da musculatura anal é condicionada a modificações no trato alimentar, assim como às medicações que o paciente utiliza. São bastante indicados procedimentos que exercitem o recondicionamento do controle anal, como o biofeedback e a eletromiografia, que geralmente oferecem bons resultados.

Nos casos mais graves, pode ser realizado o tratamento cirúrgico de correção ou reforço da musculatura, que deve ser indicada e realizada por um cirurgião coloproctologista.

Milhões de pessoas com problemas intestinais podem sofrer de incontinência fecal. Entretanto, o incômodo social causado por quem possui a doença pode levar à demora para procurar ajuda.  Quando diagnosticada precocemente e com os tratamentos certos, fica muito fácil controlar a incontinência fecal e, assim, devolver qualidade de vida e bem-estar ao paciente.

Gostou deste post? Quer ficar por dentro das novidades e tendências da saúde? Siga-nos no Facebook, no Twitter e no Instagram e acompanhe todos os nossos conteúdos!

Miotec - Tecnologia para a vida!

A Miotec tem a missão de entender as necessidades dos pacientes e de desenvolver soluções para dar suporte aos profissionais da área da saúde, para que eles tenham mecanismos mais eficientes a favor dos tratamentos feitos. Tendo como objetivo a melhoria das capacidades físicas e motoras daqueles que precisam de tratamentos fisioterapêuticos, a Miotec desenvolve diversos produtos para contribuir com a qualidade de vida dos pacientes.

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"