Conecte-se

    [/vt_socials]
    Fisioterapia respiratória: o que é e quais são seus objetivos?

    Fisioterapia respiratória: o que é e quais são seus objetivos?

    • 8 de março de 2019
    • por

    Você sabe o que é fisioterapia respiratória? Pois bem, conhecer esse conceito é fundamental, tendo em vista que os problemas respiratórios tendem a aumentar durante as estações de outono e inverno. Em São Paulo, por exemplo, de acordo com dados da Secretaria Municipal de Saúde, em 2018 o número de atendimentos por esse tipo de problema aumentou em 30%.

    A fisioterapia respiratória, por sua vez, tem o papel de recuperar e prevenir disfunções relacionadas ao processo de respiração. Com o conjunto de técnicas realizadas, essa prática ajudará a promover a máxima qualidade de vida das pessoas que sofrem com esse problema, melhorando a funcionalidade do aparelho respiratório.

    Quer saber mais sobre essa técnica que ajuda as pessoas a terem uma saúde melhor, aumentando o seu bem-estar? Então continue a leitura para entender seus objetivos e benefícios!

    Objetivos da fisioterapia respiratória

    Como dito, o objetivo da fisioterapia respiratória é prevenir e tratar as doenças do sistema respiratório.

    Por meio dessa técnica será possível melhorar a distribuição de oxigênio para o corpo todo. Dessa forma, as vias respiratórias serão desobstruídas das secreções e, com isso, a capacidade ventilatória do pulmão aumentará.

    Doenças como atelectasia e pneumonia não farão mais parte da vida do paciente depois que ele seguir à risca os tratamentos da fisioterapia respiratória. Sua saúde e qualidade de vida melhorarão muito.

    Benefícios proporcionados ao bem-estar do paciente

    Em suma, a fisioterapia respiratória proporcionará ao paciente a oportunidade de ter uma vida melhor, e isso se deve aos benefícios que a técnica oferece. Confira os principais deles.

    Aumento da resistência respiratória

    A resistência respiratória é responsável por suportar a fadiga nos esforços realizados com longa duração e intensidade moderada.

    Por meio da fisioterapia respiratória é possível aumentar a capacidade que os pulmões têm de fazer o transporte adequado do oxigênio para o sangue e demais nutrientes para os tecidos. Dessa forma, o paciente conseguirá realizar suas atividades físicas diárias sem correr o risco de se sentir mal pela falta de ar.

    Diminuição da fadiga

    A prática de fisioterapia respiratória também auxiliará na redução da fadiga. Isso acontece porque, como explicamos no tópico anterior, a resistência da respiração é fortalecida, proporcionando ao indivíduo mais disposição para realizar suas atividades físicas e demais trabalhos rotineiros.

    Melhora da mobilidade da caixa torácica e coluna dorsal

    Por restabelecer o padrão respiratório funcional, a fisioterapia consegue diminuir o gasto de energia durante a respiração. Com isso, a ventilação é melhorada e, consequentemente, as secreções são eliminadas, facilitando as trocas gasosas que ajudam a melhorar a mobilidade da caixa torácica.

    Os problemas com a coluna dorsal também podem ser reduzidos com a técnica. Isso porque ela ajuda a exercitar a resistência e o movimento do músculo (conhecido como transverso do abdômen), localizado desde o umbigo até a região da coluna, que é responsável por nos oferecer estabilidade.

    A fisioterapia respiratória no contexto da Covid-19

    Desde 11 de março de 2020 vivemos oficialmente em uma pandemia pela Covid-19. O assunto notório, amplamente divulgado pelos veículos de comunicação, vem levantado a demanda para a atuação em diversas áreas — e a fisioterapia é uma delas.

    Afinal, a insuficiência respiratória é a principal causa de morbimortalidade da doença; atualmente, ela é considerada a principal causa de morte da Covid-19, ao lado do choque séptico. Não à toa, a principal demanda da infecção pelo novo coronavírus é a de leitos de UTI e respiradores, dado o seu impacto respiratório.

    Por isso, selecionamos os principais contextos em que a doença demanda cuidados específicos do fisioterapeuta respiratório. Você perceberá que a atualização desse profissional é muito maior do que apenas ajustar aparelhos respiratórios durante a internação. Confira a seguir.

    Ambiente intra-hospitalar

    O contexto intra-hospitalar é um dos principais cenários de prática do fisioterapeuta respiratório. Este é responsável não apenas por ajustar os parâmetros do respirador, mas também por assistir diversos procedimentos no hospital. Aspiração de vias aéreas, cuidado com o tubo orotraqueal e suspeição de complicações fazem parte de sua rotina.

    Além disso, o fisioterapeuta também tem um papel fundamental na recuperação da função pulmonar do paciente: após dias entubado, ele pode sofrer com hipotrofia da musculatura respiratória e precisar de auxílio após a extubação. Nesse momento, será essencial um acompanhamento estreito do paciente para devolvê-lo sua função respiratória.

    Acompanhamento domiciliar

    Embora o hospital seja o “protótipo” da atuação do fisioterapeuta respiratório, ele não é o seu único cenário de atuação: segundo dados do governo chinês, cerca de 80% dos casos são leves ou assintomáticos, não necessitando de internação. No entanto, esses pacientes também podem necessitar de otimização da função respiratória, para evitar a deterioração e a necessidade de uma futura hospitalização.

    Para esses pacientes — especialmente já antigos de seu consultório — pode ser necessário o acompanhamento domiciliar do fisioterapeuta. Nele, o paciente deve ser instruído aos exercícios necessários para a fisioterapia; também será necessário observar os parâmetros vitais e manter a suspeição elevada para a insuficiência respiratória.

    Após a pandemia

    O coronavírus não preocupa apenas pela sobrecarga do sistema de saúde durante a pandemia: também há uma grande preocupação com o período após ela, devido a complicações da Covid-19 e outras doenças. Afinal, durante a sua duração, cirurgias eletivas podem ser adiadas e pode haver um receio quanto ao comparecimento ao PA — o que pode, invariavelmente, piorar o quadro clínico de outras doenças crônicas.

    Por isso, no momento pós-pandemia há uma previsão de que o fisioterapeuta respiratório também seja altamente demandado. Ele auxiliará na recuperação da função respiratória dos pacientes que contraíram a doença, e poderá ser necessitado por outras condições.

    Por esses motivos, consideramos ele extremamente útil antes, durante e após uma possível hospitalização pela Covid-19. Nesse contexto, a especialização será fundamental aos profissionais que desejam se aprofundar na fisioterapia respiratória, dada a sua alta relevância no mercado.

    Agora você sabe como a fisioterapia respiratória pode mudar a vida de um paciente que sofre dores constantes. Sendo assim, poder disponibilizar esse tipo de solução às pessoas que procuram o seu consultório é fundamental para se destacar no mercado. O período da pandemia pela Covid-19 aumenta a demanda por esse tipo de profissional, algo que pode perdurar ainda por meses ou anos.

    Quer ter acesso a mais conteúdos relevantes que contribuirão para o aumento do seu conhecimento? Aproveite e curta nossa página no Facebook! Estamos sempre falando a respeito por lá.

    A Miotec tem a missão de entender as necessidades dos pacientes e de desenvolver soluções para dar suporte aos profissionais da área da saúde, para que eles tenham mecanismos mais eficientes a favor dos tratamentos feitos. Tendo como objetivo a melhoria das capacidades físicas e motoras daqueles que precisam de tratamentos fisioterapêuticos, a Miotec desenvolve diversos produtos para contribuir com a qualidade de vida dos pacientes.

    Ad
    Ad
    Ad
    Ad

    A Miotec

    Fundada em 2002, a MIOTEC atua na área da saúde, desenvolvendo, produzindo e comercializando ferramentas tecnológicas direcionadas à pesquisas e terapias de prevenção, reabilitação e monitoramento, objetivando melhoria do bem-estar e do desempenho físico humano.

    Conecte-se

    Instagram

    No posts available!
    ×